Em cima da hora:
Fechamento de autoescola vira caso de polícia em Presidente Prudente
-
  • Facebook
  • Twitter
  • Orkut
  • Feeds
  • 27/10/2017


    Sobe - O Superintendente Maurício Carvalho (SMT) pela criação do programa Rua Viva, por oferecer atividades de lazer para as famílias aos domingos.


    Desce - Os prefeitos de pequenas cidades que mesmo com a crise aguda que alegam realizaram festejos juninos sutuosos.

     

    Só funciona com pressão


    Para o prefeito de Feira de Santana, José Ronaldo (DEM), a mobilização encampada pela União dos Municípios da Bahia (UPB), na quinta-feira (26), só terá força e efeito se chegar até Brasília. Ronaldo, que já foi deputado federal, afirma que o Congresso Nacional funciona com pressão. "Eu conheço a história de Brasília. O Congresso se movimenta pelo que vem das ruas, das pressões populares. Então, essa pressão dos prefeitos é fundamental. Por isso que acho esse evento da UPB muito louvável", disse em entrevista ao site Bahia Notícias. Conforme o gestor, uma das receitas para administrar em épocas de crise é não ampliar a oferta de serviços. "O que nós fizemos em 2017 foi baseado no que realizamos em 2016. Ou seja, não ampliamos muito os serviços. Exceto na saúde, mas os outros serviços mantivemos no mesmo patamar de 2016", comentou.

     

    Maior rejeição do mundo


    O presidente Michel Temer é considerado o chefe de estado com a maior taxa de rejeição do mundo, de acordo com um estudo do grupo de análise política Eurasia. O levantamento foi divulgado pela Agência Ansa e lembra que o brasileiro é aprovado por apenas 3%, como relatou uma pesquisa CNI/Ibope divulgada no final de setembro. O presidente da África do Sul, Jacob Zuma, alvo de denúncias de corrupção, possui 18% de aprovação e ocupa a segunda colocação na lista. Já Nicolás Maduro, da Venezuela aparece na sequência com 23%.

     

    Desbloqueio autorizado


    O juiz federal João Batista Gonçalves, da 6ª Vara Criminal de São Paulo, autorizou a suspensão do bloqueio de bens dos executivos Joesley e Wesley Batista, do grupo J&F, desde que eles apresentem um seguro-garantia. O magistrado havia determinado, no último dia 16, o bloqueio de R$ 238 milhões dos executivos, principais acionistas do grupo. O bloqueio foi determinado no mesmo despacho em que o juiz recebeu uma denúncia criminal e abriu ação contra os dois irmãos pelo crime de insider trading. Joesley e Wesley terão dez dias para apresentar à Justiça o seguro-garantia no mesmo valor do bloqueio.

     

    Criticou vitória de Temer


    O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva criticou o resultado da votação na Câmara que livrou o presidente Michel Temer de ser investigado pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Segundo a Folha de S. Paulo, o petista soube da decisão durante um ato no interior de Minas Gerais. "Depois dizem que a Lava Jato está combatendo a corrupção. Depois dizem que a operação Lava Jato está moralizando este país, que quer combater a corrupção. Se ela quisesse combater a corrupção, não tinha essa corrupção campeada no Congresso", reclamou Lula. Durante o discurso, ele comentou que Temer gastou R$ 30 milhões para se manter na presidência.

     

    Burros de carga


    O presidente da União dos Municípios da Bahia (UPB), Eures Ribeiro (PSD), disse que as prefeituras estão se tornando "burros de carga" de programas federais. A perspectiva é pensada quando a União cria a ação e não libera recursos suficientes para sua execução. "Aí nós temos que completar. Jogaram pra gente obrigações que eram da União e dos estados. O PSF [Programa Saúde da Família] é o mais impactado. Na Bahia tem UPA [Unidade de Pronto-Atendimento] que ninguém quer abrir porque não tem dinheiro pra bancar", explicou Eures. Segundo ele, 28 unidades não foram criadas no estado até agora por falta de recursos.

     

    PSDB Continuará rachado


    A divisão do PSDB em relação à permanência do partido na base do presidente Michel Temer deve ser mantida pelo menos até dezembro. Isso porque existe a expectativa de que a convenção nacional marcada para o mês defina a estratégia da legenda. Na ocasião haverá eleição da nova Executiva Nacional e do presidente. Na votação da segunda denúncia contra Michel Temer, na quarta-feira (25), na Câmara, a ala crítica ao presidente que levou vantagem em relação aos favoráveis ao governo (23 a 20).

     

    Só passa se enxugar


    O presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia, afirmou após o arquivamento da denúncia contra o presidente Michel Temer, na quarta-feira (25), que a reforma da Previdência precisa ser enxugada e focada para passar pela Câmara e "acabar com a maior transferência de renda do mundo de pobres para ricos". As pautas econômicas do governo federal devem voltar a se intensificar no Congresso Nacional depois que os deputados livraram Temer pela segunda vez de uma investigação do Supremo Tribunal Federal (STF). Para o Maia, o Palácio do Planalto deve rever o texto para priorizar aspectos específicos que combatem o déficit da Previdência com maior eficácia.   



Os comentários e textos não representam a opinião do portal; a responsabilidade pelo blog é do autor da mensagem.
Folha do Estado da Bahia
Desenvolvido por Tacitus Tecnologia