Em cima da hora:
Baile Municipal de Bezerros vende ingressos para show de Araketu
-
  • Facebook
  • Twitter
  • Orkut
  • Feeds
  • 12/12/2017


    Sobe - Decoração de Natal por transformar Feira de Santana em cidade luz durante o mês de dezembro.

     

    Desce - Dirigentes de clubes de futebol pela relação promíscua com torcidas organizadas banidas dos estádios.

     

    Maia como presidenciável

     

    A convenção nacional do Democratas, prevista para acontecer na próxima quinta-feira (14), deve firmar o partido nacionalmente e indicar o presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (RJ), como postulante ao Palácio do Planalto em 2018. A expectativa é que a legenda se coloque como ocupante do lugar antes designado ao PSDB, ao passo que manda um recado para os tucanos: o apoio não será automático. De acordo com a coluna Painel, da Folha de S.Paulo, o presidente do PSDB, Geraldo Alckmin, já foi avisado de que a decisão sobre possível apoio democrata à sua candidatura para presidente da República não se dará tão cedo. Na ocasião da convenção, Maia deverá aproveitar para defender a reforma da Previdência e chegar a 24 votos, de um total de 29 deputados, para ampliar o placar da proposta.

     

    Preocupado com denúncia

     

    Citado nas investigações da Procuradoria-Geral da República (PGR) no caso envolvendo o bunker de R$ 51 milhões encontrado em Salvador, o deputado federal Lúcio Vieira Lima (PMDB-BA) tem demonstrado preocupação com a eventual denúncia colocá-lo de vez como réu da Operação Lava Jato. De acordo com a coluna Radar Online, a aliados políticos, Lúcio teria resumido o medo nesse processo: “Se denunciaram o Aloysio por causa de R$ 500 mil, então eu tô f*%[email protected]”. O peemedebista fazia referência à denúncia contra o ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes, de ter recebido R$ 500 mil da Odebrecht.

     

    Defende projeto feminista

     

    Lançada no dia 18 de novembro como pré-candidata do PCdoB à Presidência da República, a deputada estadual Manuela D’Ávila (PCdoB-RS), de 36 anos, demonstra preocupação em relação às eleições do próximo ano. Na avaliação dela, com a gravidade da atual crise política vivida pelo país, o pleito de 2018 corre risco. “Uma das nossas bandeiras é para que existam eleições no ano que vem. Acho que 2018 é algo ainda a ser garantido, para que o povo brasileiro tenha as decisões sobre o futuro em suas mãos”, defende a gaúcha de Porto Alegre, em entrevista ao Bahia Notícias. Declaradamente feminista, a parlamentar também constrói uma plataforma política com a “cara das mulheres” e pretende dar atenção especial a elas, que, segundo a pré-candidata, mais sofrem os efeitos da crise econômica.

     

    Não deve fechar questão

     

    A Executiva Nacional do PSDB vai se reunir na próxima quinta-feira (14), já sob o comando de Geraldo Alckmin, para discutir se a bancada do partido na Câmara vai fechar questão sobre a votação da reforma da Previdência. E, na avaliação do presidente do partido na Bahia, deputado federal João Gualberto, a probabilidade de a sigla chegar a um acordo em relação ao tema é quase nula. “O PSDB nunca fecha questão, não acredito que vai ser agora. Tivemos reunião na semana passada, a bancada foi unânime em não fechar questão. Mesmo aqueles que são favoráveis à reforma”, afirmou Gualberto, em entrevista ao Bahia Notícias. Ainda de acordo com o parlamentar, o governo Temer está usando a reforma como “cortina de fumaça”.

     

    Defende projeto feminista

     

    Lançada no dia 18 de novembro como pré-candidata do PCdoB à Presidência da República, a deputada estadual Manuela D’Ávila (PCdoB-RS), de 36 anos, demonstra preocupação em relação às eleições do próximo ano. Na avaliação dela, com a gravidade da atual crise política vivida pelo país, o pleito de 2018 corre risco. “Uma das nossas bandeiras é para que existam eleições no ano que vem. Acho que 2018 é algo ainda a ser garantido, para que o povo brasileiro tenha as decisões sobre o futuro em suas mãos”, defende a gaúcha de Porto Alegre, em entrevista ao Bahia Notícias. Declaradamente feminista, a parlamentar também constrói uma plataforma política com a “cara das mulheres” e pretende dar atenção especial a elas, que, segundo a pré-candidata, mais sofrem os efeitos da crise econômica.

     

    Alternativa ao PT

     

    A Frente Povo Sem Medo concluiu, após quatro meses de debate, um programa de governo para o “Vamos”, movimento criado em busca de uma alternativa ao PT no cenário eleitoral, inspirado no “Podemos” espanhol. Segundo informações do jornal Folha de S. Paulo, o grupo é idealizado pelo coordenador do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), Guilherme Boulos, que é provável candidato à Presidência da República pelo Psol. O documento que réune a plataforma do “Vamos” teve a participação de petistas em sua elaboração, como o ex-ministro Tarso Genro. O programa, batizado “Sem Medo de Mudar o Brasil! Vamos”, tem propostas polêmicas, como a extinção do Senado, a reversão de privatizações já realizadas e a legalização progressiva das drogas.



Os comentários e textos não representam a opinião do portal; a responsabilidade pelo blog é do autor da mensagem.
Folha do Estado da Bahia
Desenvolvido por Tacitus Tecnologia