PMFS Micareta
Em cima da hora:
Fechamento de autoescola vira caso de polícia em Presidente Prudente
-
  • Facebook
  • Twitter
  • Orkut
  • Feeds
  • 27/01/2018


    Sobe - Feirense de 92 anos é uma das referências no Halterofilismo baiano.


    Desce - Tumulto na fila do TRE em Feira por quantidade insuficiente de senhas diárias.


    Defesa preocupada


    O deputado Paulo Maluf (PP-SP) teve pedido de habeas corpus negado pelo Tribunal de Justiça do Distrito Federal (TJDFT). Com a decisão da quinta-feira (25) do desembargador Jesuino Aparecido Rissato, o parlamentar permanece preso no Complexo Penitenciário da Papuda, em Brasília. Após a nova decisão, o advogado de Maluf, Antônio Carlos de Almeida Castro, Kakay, afirmou que a defesa fez “uma análise técnica” baseada nos laudos médicos e está preocupada com a saúde do deputado. “Quer deixar explicitado, até para prevenir responsabilidade, que a toda evidência o sistema carcerário falido, desumano e despreparado não tem condições de dar uma segurança mínima a um apenado com 86 anos com tantas doenças graves e permanentes”, afirmou.


    ACM, PP e PR


    Diante da aproximação de representantes do PP e do PR com o núcleo do prefeito ACM Neto (DEM), Bruno Reis (PMDB) diz que ainda é cedo para firmar alianças políticas. Para o vice prefeito, visto como articulador da possível campanha de Neto ao governo do Estado, antes de fechar coligações é necessário que haja uma definição de candidatura. “Mas, se você me perguntar se há fortes relações, relações históricas do passado e que permaneceram mesmo quando nós estivemos em campos opostos, e que hoje as relações estão muito próximas, eu tenho que dizer que sim, porque é verdade”, ressalta em entrevista ao Bahia Notícias.


    Resolução aprovada


    Um dia depois da condenação que pode tirar Luiz Inácio Lula da Silva da disputa eleitoral, a executiva nacional do PT aprovou uma resolução que reitera a disposição de insistir na candidatura do ex-presidente, mas também defende a formação de uma “ampla e sólida aliança” com os demais partidos de esquerda. “Aprofundar o diálogo e manter a unidade com os partidos e forças sociais, buscando formar ampla e sólida aliança com todos que se coloquem de acordo com o programa de governo que estamos construindo e apresentaremos ao País”, diz o texto aprovado hoje. Em um aceno na direção dos possíveis aliados no pleito do dia 7 de outubro, o PT decidiu “saudar e agradecer os partidos políticos, movimentos sociais, organizações e personalidades” que se uniram em torno da defesa de Lula.


    Defesa pede absolvição


    A defesa do empresário Eike Batista, denunciado por corrupção e lavagem de dinheiro no âmbito da Operação Eficiência, entregou nesta semana as alegações finais na ação penal que corre na Justiça Federal. Nelas, os advogados negaram todas as acusações feitas pelo Ministério Público Federal (MPF) e acusaram a força-tarefa da Operação Lava Jato de fazer uma interpretação “criativa” dos fatos. Eike é acusado de ter pago US$ 16,5 milhões em propina ao ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (PMDB). De acordo com o jornal Folha de S. Paulo, a defesa disse nas alegações que o MPF não foi capaz de provar as acusações contra Eike - uma delas a de pagamento de propina - e pede, além da absolvição, a anulação da ação penal.


    Justiça nega pedido


    O desembargador Jesuino Rissato, do Tribunal de Justiça do Distrito Federal, negou mais um pedido da defesa do deputado federal Paulo Maluf (PP) para cumprir sua pena de 7 anos, 9 meses e 10 dias em regime domiciliar. O parlamentar está preso no Complexo Penitenciário da Papuda, na ala de idosos. Ele está condenado pelo crime de lavagem de dinheiro. A defesa do deputado recorreu de decisão do juiz da Vara de Execuções Penais de Brasília, Bruno Macacari, que indeferiu pedido para que deputado cumpra pena em domiciliar. Rissato, no entanto, negou o pedido liminar, mas ressaltou que a Corte ainda pode voltar a se debruçar sobre o mérito da questão.

     

    Lula teve processo acelerado


    Revisor do caso do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), o desembargador Leandro Paulsen acelerou o processo do petista na Corte. Na quarta-feira (24), Lula teve a condenação do juiz Sergio Moro mantida por unanimidade pelos três desembargadores da 8ª Turma do TRF-4, que ainda aumentaram a pena dele de nove anos e seis meses de prisão para 12 anos e um mês de prisão. De acordo com o site Justificando, que teve acesso ao sistema informatizado do Tribunal, havia 257 processos na fila para revisão de Paulsen no dia 13 de dezembro de 2017, quando ele pediu data para julgar o caso de Lula. Ainda segundo o site, quando fez o pedido, o desembargador tinha passado apenas seis dias úteis examinando o caso, apesar de o processo ter dezenas de milhares páginas e um grande volume de vídeo de audiência. A publicação apontou também que todos os casos deixados para trás são mais antigos que o do ex-presidente muitos tratam do mesmo crime.



Os comentários e textos não representam a opinião do portal; a responsabilidade pelo blog é do autor da mensagem.
Folha do Estado da Bahia
Desenvolvido por Tacitus Tecnologia