Facebook
Em cima da hora:
Família em Barbacena tem casa furtada enquanto viajava
-
  • Facebook
  • Twitter
  • Orkut
  • Feeds
  • 04/10/2018


    Sobe - O Governo Federal, por, até que enfim, assinar a autorização de obra de duplicação do Anel de Contorno Oeste até a cidade de Serrinha.
     

    Desce - Filhos e netos que atacam os idosos com violência sobretudo a financeira. 

     

    Debate

    No debate da última terça-feira à noite (2), na Rede Bahia, o candidato José Ronaldo (DEM) obteve o melhor desempenho dentre os candidatos. Na minha opinião, a segunda colocação ficou com João Santana (MDB), que, de todos eles, foi o mais pragmático e bem alicerçado em números. Rui Costa (PT), que é, disparado, o candidato com maior pontuação de votos, dividiu o terceiro lugar com Marcos Mendes (PSOL).

     

    Debate I

    Um fato importante no debate foi o pronunciamento de José Ronaldo, que declarou votar, no domingo (7), em Jair Bolsonaro (PSL), justificando voto útil. É bom lembrar que, desde o início da campanha, Zé Ronaldo nunca tocou no nome de Alckmin (e nem de Bolsonaro), mesmo ao dizer que ia copiar o programa exitoso para segurança desenvolvido pelo governo de São Paulo. O partido de Ronaldo, DEM, recebe o apoio do PSDB de Alckmin, aqui na Bahia e, em contrapartida, o DEM apoia, nacionalmente, o ex-governador paulista. Em suma, ninguém pediu votos para Alckmin, aí incluindo todos os partidos do Centrão, que mais parecem jogadores de Jogo do Bicho: só apostam para ganhar, esquecendo suas convicções políticas.

     

    Bolsonaro

    É possível que o líder das pesquisas tenha anotado em seu caderninho de lembranças aqueles que começaram a caminhada com ele, e vai checar depois os quase 200 deputados federais que já se declararam nos últimos dias seu apoio quando ele consolida sua posição de líder das pesquisas. Isso vale também para os candidatos a governador do Brasil todo, tanto os que perderão, quanto os que ganharão. Embora saibamos que para governar precisa de deputados, vamos ficar observando que, na possível eleição dele, Bolsonaro precisa desses deputados para governar. Vamos ver se ele vai cumprir a promessa de não agregar oportunistas, e de não empossar indicados desses deputados.

     

    Jutahy

    Ontem pela manhã, o candidato a senador, Jutahy Magalhães, foi o entrevistado do programa de Mário Kertz. Ao ser indagado sobre a declaração de voto do candidato a governador José Ronaldo em apoio de voto a Bolsonaro, respondeu: “Eu fiz compromisso e vou honrar, votando com o meu partido para o candidato a presidente, Geraldo Alckmin. Aqui na Bahia, o partido e eu fizemos compromisso para apoiar José Ronaldo a governador, e eu vou votar para José Ronaldo para governador, pois, tanto eu quanto meu partido, o PSDB, fizemos esse compromisso. E vamos honrar!”, e não disse mais nada.

     

    Isaías de Diogo

    O candidato a deputado estadual, Isaías de Diogo (PSC), declarou, na última terça-feira (2), o seu apoio ao Pastor Abílio (PHS) a deputado federal. Para senador, Isaías, ao que tudo indica, dará voto único a Irmão Lázaro (PSC), seu patrono.

     

    Eremita Mota

    Ao ocupar a Tribuna da Câmara, ontem, a candidata a suplente de senador de Jutahy Magalhães, Eremita Mota (PSDB), se disse decepcionada com o candidato a governador do seu grupo, o ex-prefeito de Feira, Zé Ronaldo (DEM). Eremita disse que não esperava que Ronaldo quebrasse o compromisso de apoiar e votar em Alckmin só por que Bolsonaro estava na frente, e por isso, declarou voto ao capitão. Só faltou Eremita bater continência.

     

    Edvaldo Lima

    Ontem, foi mais um dia de glória do vereador Edvaldo Lima (PP). Com as galerias lotadas por professores, o vereador, discursando no pequeno expediente, reafirmou o seu apoio a Bolsonaro. Primeiro político em Feira a se declarar, 5 meses atrás, ele exibiu uma camiseta de Bolsonaro e falou do seu prazer de ser seguido agora, também, por José Ronaldo, que ontem declarou o seu apoio ao que estão chamando por aí de “Mito”. Misericórdia!

     

    Viagem de Haddad

    O jato usado por Fernando Haddad para visitar Lula em Curitiba na última segunda-feira (1º), já serviu ao ex-presidente em outras ocasiões. A Polícia Federal identificou deslocamentos do petista entre 2011 e 2015 bancados pela Odebrecht. O Gulfstream G200 foi comprado no fim do ano passado por uma empresa de táxi aéreo, que hoje o aluga para a campanha do petista, segundo o Estadão. No total, Haddad já utilizou R$ 471 mil do fundo partidário com várias empresas de táxi aéreo. Procurada, a campanha disse: “Sem comentários”.
     



Os comentários e textos não representam a opinião do portal; a responsabilidade pelo blog é do autor da mensagem.
Folha do Estado da Bahia
Desenvolvido por Tacitus Tecnologia