Em cima da hora:
Motociclista fica ferido após bater de frente com ônibus em Ribeirão Preto
-
  • Facebook
  • Twitter
  • Orkut
  • Feeds
  • 17/11/2018


    Sobe - Caixa Econômica Federal por lançar projeto que facilita regularização de endividados com o banco.


    Desce - Brasil por ter concentrado 40% dos feminicídios da América Latina em 2017.


    No Congresso


    A chamada “bancada da bala”, grupo de parlamentares que defendem endurecimento do Código Penal e das políticas de segurança pública, deve passar de 36 para pelo menos 102 parlamentares na próxima legislatura. Integrarão o grupo os deputados baianos Arthur Maia (DEM) e Dayane Pimentel (PSL), informa um levantamento realizado pelo Congresso em Foco, com base em pautas defendidas pelos novos parlamentares e declarações das atuais lideranças do grupo. Segundo a publicação, grande parte do bloco será composta por parlamentares da sigla capitaneada pelo presidente eleito Jair Bolsonaro. A legenda, até então nanica, terá, a partir de 2019, a segunda maior composição do Congresso, com 52 deputados e 4 senadores.


    Reunião


    O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) se reuniu com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso para tentar convencê-lo a trazer o PSDB para o bloco de oposição ao governo no Senado. Segundo a coluna Painel, do Jornal Folha de S.Paulo, uma das possibilidade seria lançar Tasso Jereissati (PSDB-CE) na disputa pela presidência do Senado em fevereiro, caso Renan Calheiros (MDB-AL) também se candidate.


    Neto não gosta


    ACM Neto, prefeito de Salvador e presidente do DEM, deu sinais de que não gostou de saber que Onyx Lorenzoni (DEM-RS) já está conversando com o presidente do PRB, Marcos Pereira, antes se reunir com o futuro ministro da Casa Civil. A informação é da Coluna do Estadão, do jornal o Estado de S.Paulo. Os correligionários têm agenda na próxima quarta (21). Ontem (16), a coluna Painel, da Folha, relatou que Neto assegurou a aliados não haver chance do partido declarar apoio oficial ao novo governo. Segundo a publicação, o chefe do Palácio Thomé de Souza manterá o discurso de que os futuros ministros filiados à sigla foram escolhas pessoais do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL).


    Ex-prefeito vira réu


    O ex-prefeito de Ilhéus e secretário-geral do PP na Bahia, Jabes Ribeiro, virou réu na Justiça Federal em uma ação de improbidade administrativa, recebida pela juíza Daniele Bossonario, da 1ª Vara de Ilhéus. Segundo a coluna Satélite, do jornal Correio, Ribeiro é acusado pelo Ministério Público Federal (MPF) de cometer irregularidades em um convênio firmado com a construtora que ficou responsável pelo Centro de Artes e Esportes Unificados do município.


    Segundo Vilas-Boas


    Secretário de Saúde da Bahia, Fábio Vilas-Boas disse, em entrevista a Mário Kertész, na Rádio Metrópole, que o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) cumpre uma promessa com a saída dos cubanos do Mais Médicos. Ainda de acordo com o secretário, o Mais Médicos é um programa bem-sucedido e, com a ausência dos médicos estrangeiros, parte da população vai ficar sem assistência.


    Criação da esquerda


    Escolhido pelo presidente eleito Jair Bolsonaro como novo Ministro de Relações Exteriores, o diplomata Ernesto Araújo acredita que a “causa ambiental” foi criada por conservadores, mas capturada pela esquerda, que a “perverteu” e transformou na “ideologia da mudança climática”. Em seu blog, batizado de Metapolítica 17, ele costuma se manifestar sobre o PT, imigração, feminismo e fake news.


    Mourão no Twitter


    Vice-presidente eleito, o general Hamilton Mourão (PRTB), usou o Twitter para falar sobre a saída dos cubanos do programa Mais Médicos, na última quinta-feira (15). Na publicação, ele diz que o presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), “libertou 8 mil cubanos da escravidão”.


    Crítica


    O presidente estadual do PSD, o senador Otto Alencar, voltou a criticar o posicionamento do PP, de João Leão, que lançou a candidatura do deputado Nelson Leal à presidência da Assembleia Legislativa da Bahia e já angariou os apoios do PDT, PCdoB, e do deputado eleito Júnior Muniz (PHS). Para o senador, a articulação do PP é “antiética”.



Os comentários e textos não representam a opinião do portal; a responsabilidade pelo blog é do autor da mensagem.
Folha do Estado da Bahia
Desenvolvido por Tacitus Tecnologia