Em cima da hora:
Projeto contra corrupção do MPF já coletou mais 31 mil assinaturas na PB
-
  • Facebook
  • Twitter
  • Orkut
  • Feeds
  • 12/03/2020


    Sobe - PGE por ajuizar ação criminal contra Igor Kannário.


    Desce - População de Feira por deixar que cerca de 80% dos focos de aedes aegypti estejam em casas habitadas.

     

    Pablo Roberto


    De acordo com o site Bahia na Política, por Jair Onofre, depois de uma conversa com o ex-prefeito José Ronaldo (DEM) o vereador e atual secretário de Desenvolvimento Social, Pablo Roberto, pode deixar o PDT. Seu caminho seria em direção ao Democratas. Pablo Roberto disse ao site que até aqui continua firme, apesar de admitir que está conversando, sim.


    CMDI


    O vereador Roberto Tourinho (PV) expôs a situação do Centro Municipal de Diagnóstico por Imagem (CMDI), e falou sobre a paralisação da construção e cobrou agilidade do Governo Municipal. Segundo o edil, as obras para a sede do CMDI tiveram início no dia 3 de outubro de 2017 e a conclusão estava prevista para ser cumprida dentro do prazo de exatamente um ano. Entretanto estão paradas há mais de um ano e meio.


    Camelôs


    O vereador Luiz da Feira (PCdoB) comentou sobre a manifestação que os ambulantes fizeram na terça-feira (10). “Os camelôs estão clamando pelos seus direitos, mas até agora nada foi resolvido”, protestou. O edil solicitou ao prefeito Colbert Martins e ao secretário de Trabalho, Turismo e Desenvolvimento Econômico (Settdec), Antônio Carlos Borges Júnior, uma solução para os vendedores ambulantes que não estão cadastrados para atuar no Centro Comercial Popular- Shopping Popular - e reclamou do valor do aluguel dos boxes.


    Isaías de Diogo


    O vereador Isaías de Diogo (PDT) pediu mais respeito aos vereadores lembrando do ex-presidente da Câmara, Ronny. “Quero aqui lembrar algo que o saudoso Ronny fazia e não podemos perder de vista: o respeito ao vereador. Chegamos nas secretarias e não temos respaldo. Disse ontem, que já fazem cinco meses que tive audiência com o prefeito. Eu não tenho o porquê mentir sobre isso”, disse.


    Sem som


    O prefeito ACM Neto (DEM) disse em seu Twitter que a informação de que teria proibido carros de som na manifestação do próximo domingo (15), na Barra é fake. “Em nenhum momento proibi o que quer que fosse para a manifestação de domingo, na Barra. Aliás, sou contra qualquer tipo de limitação ao direito de manifestações pacíficas”, disse o prefeito na publicação, e continuou. “Estão espalhando fakenews sobre eu ter proibido a sonorização na manifestação. Isso é um boato irresponsável”, finalizou.


    Rui e Neto


    Ciro Gomes (PDT) não poupou elogios ao governador da Bahia, Rui Costa (PT), e ao prefeito ACM Neto (DEM). “Fico muito feliz, num momento em que a política está desmoralizada, que os governantes da Bahia sejam bem falados. O governo Rui Costa é um bom governo, uma sequência de um bom governo que o Jaques Wagner fez. O espelho disso foi a releição, com mais de 70% dos votos. E há um ditado em latim que diz ‘vox populi, vox Dei’, ou seja, a voz do povo é a voz de Deus. E o seu adversário, ACM Neto, também goza dessa boa reflexão. Só quem ganha com isso é o povo da Bahia”.


    Vingança


    O ex-governador do Ceará e ex-ministro Ciro Gomes (PDT) afirmou que o presidente Jair Bolsonaro cometeu uma vingança contra o Nordeste ao ter priorizado as regiões Sul e Sudeste do país na concessão de novos benefícios do Bolsa Família em janeiro. “Estamos vivendo num país em que o presidente eleito denuncia uma fraude nas eleições. Ele ataca as instituições porque elas são boas. Essa história do Bolsa Família é uma vingança mesquinha do presidente. Como é que Santa Catarina tem mais pedidos do Bolsa Família que toda região Nordeste? Esse é o Brasil”, afirmou.


    Impeachmant


    O colunista Ricardo Noblat, da Revista Veja, afirmou em seu Twitter, que um ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) lhe contou que o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido) poderá ser alvo de um processo de impeachment caso não prove que houve fraude nas eleições de 2018. Tweetou Noblat: “Há pouco, um ministro do Supremo me disse que se Bolsonaro não provar que houve fraude na eleição dele, poderá ser alvo de um processo de impeachment.”



Os comentários e textos não representam a opinião do portal; a responsabilidade pelo blog é do autor da mensagem.
Folha do Estado da Bahia
Desenvolvido por Tacitus Tecnologia