Em cima da hora:
Queda de energia em Brotas deixa serviço da Defesa Civil fora do ar
-
  • Facebook
  • Twitter
  • Orkut
  • Feeds
  • 11/04/2020


    Sobe - As políticas desenvolvidas pelos governos Federal, Estadual e Municipal, no combate à Covid-19.


    Desce - Pessoas que tentam fraudar o auxílio emergencial de R$ 600 dado pelo Governo Federal.


    Medidas


    A Assembleia Legislativa do Estado da Bahia (Alba) volta a se reunir extraordinariamente - de forma virtual - no Sábado de Aleluia (11), a partir das 9h30, para apreciar projetos de lei relacionados ao combate ao novo coronavírus, causador da Covid-19. São três as matérias da convocação negociada pelo presidente, Nelson Leal, com as lideranças partidárias: no primeiro, é acrescido um valor extra ao programa Bolsa Família para as famílias de estudantes das escolas públicas estaduais, compensando a suspensão da merenda escolar enquanto durar a quarentena.


    Transporte intermunicipal


    Em decreto publicado no Diário Oficial de sexta-feira (10), o Governo do Estado suspende, em mais quatro cidades, a circulação, a chegada e a saída de qualquer transporte coletivo intermunicipal, público e privado, rodoviário e hidroviário, nas modalidades regular, fretamento, complementar, alternativo e de vans. A decisão vale a partir deste sábado (11), nos municípios de Itapebi, Ituberá, Santa Luzia e Ubatã.


    Transporte complementar


    O deputado Robinson Almeida (PT) quer a suspensão da cobrança de taxas, tarifas e multas dos permissionários do transporte complementar. O motivo é a limitação na circulação dos veículos, decorrente das medidas de distanciamento social. O pedido de indicação foi apresentado na Assembleia Legislativa da Bahia, com destino a Carlos Henrique Martins, diretor da Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos de Energia, Transportes e Comunicações da Bahia (Agerba).


    Portas escancaradas


    Jair Bolsonaro abriu canal de diálogo com os caciques do centrão. De acordo com a coluna de Lauro Jardim, o presidente falou sobre até aonde pretende ir para manter uma boa relação com o Congresso. “Em ministério eu não vou mexer, mas as minhas portas estão mais do que abertas, escancaradas para vocês virem quando quiserem. Não precisa nem marcar”, teria dito Bolsonaro. A proposta não convenceu o centrão.


    35 milhões


    O Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos firmou convênio para destinar R$ 35 milhões na compra de alimentos para os povos indígenas e comunidades quilombolas. Os insumos serão entregues pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). A preocupação é que, com o isolamento social, representantes das aldeias e dos territórios quilombolas deixem de viajar até as cidades para comprar alimentos.


    Onyx


    O clima no DEM está ruim diante do flagra de Onyx Lorenzoni criticando o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, de quem ele se dizia amigo. A informação é da coluna de Guilherme Amado, da revista Época. A conversa foi ouvida pelo repórter Caio Junqueira, da CNN Brasil, após telefonar a Osmar Terra na manhã de quinta-feira (9), e o ex-ministro encerrar a conversa sem desligar a chamada. Nela, Onyx afirma que teria “cortado a cabeça” de Mandetta, com quem estaria sem falar “há dois meses”, por ele discordar do que Bolsonaro prega - por exemplo, o isolamento vertical e a mensagem de que a cloroquina deve ser usada em todos os pacientes.


    SPC e Serasa


    A Câmara dos Deputados aprovou na última quinta-feira (9), uma proposta que suspende a inclusão de novas pessoas em cadastros de proteção ao crédito, como SPC e Serasa. A nova regra tem validade para a inadimplência registrada a partir de 20 de março deste ano, período a partir do qual foram implementadas as medidas de distanciamento social por causa da pandemia do novo coronavírus.


    Bolsonaro


    O governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ainda não conseguiu cumprir a promessa de liberar emendas parlamentares para o combate à pandemia do novo coronavírus. Dos R$ 8 bilhões anunciados pelo presidente há 20 dias, apenas R$ 1,47 bilhão (18%) tem alguma destinação prevista e só R$ 119 milhões (1,5%) saíram efetivamente dos cofres públicos até agora, informa reportagem do jornal O Estado de S. Paulo.



Os comentários e textos não representam a opinião do portal; a responsabilidade pelo blog é do autor da mensagem.
Folha do Estado da Bahia
Desenvolvido por Tacitus Tecnologia