Em cima da hora:
Queda de energia em Brotas deixa serviço da Defesa Civil fora do ar
-
  • Facebook
  • Twitter
  • Orkut
  • Feeds
  • 05/12/2014


    Onde andam?

    Quem anda sumido para as discussões das situações que dizem respeito diretamente à Feira de Santana é o deputado Carlos Geilson. Na mesma situação o deputado federal Fernando Torres, este reservando energias para o início do ano vindouro. Zé Neto, preocupado apenas com as questões do atual e futuro governador, esquece das questões da cidade, salvaguardando Audiência Pública exitosa, para ele, sobre o BRT. Espalhou brasa e voltou ao dia-a-dia da Assembleia.

    Chumbo
    O deputado estadual Targino Machado (DEM) será o entrevistado de hoje no Programa Subaé Notícias. Sempre é bom ouvir Targino. Ele tem a vantagem de não ser um político previsível e nem ter freio na língua.

    VLT
    O antigo trem do Subúrbio dará lugar ao Veículo Leve sobre Trilhos, o VLT, projeto do Governo do Estado defendido, na última quarta-feira (03), em Brasília, pelo deputado federal e governador eleito da Bahia, Rui Costa (PT). Ele se reuniu com o secretário do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), Maurício Muniz, no ministério do Planejamento e classificou a implantação do novo modal como parte das obras estruturantes de mobilidade para Salvador. Pelo projeto, o VLT sairá de São Luís, em Paripe, até a Calçada, substituindo o atual Trem do Subúrbio.

    Financiamento
    O governador eleito Rui Costa (PT) foi o que recebeu o maior montante de doações das empresas investigadas pela Operação Lava Jato da Polícia Federal (PF), segundo levantamento da Folha de S. Paulo. A publicação faz a estimativa um dia após veicular que o executivo Augusto Ribeiro de Mendonça Neto, da Toyo Setal, afirmou em delação premiada que parte da propina paga para o ex-diretor de Engenharia e Serviços da Petrobras, Renato Duque, eram “doações oficiais ao PT”. Costa recebeu a doação de R$ 9,4 milhões, o que significou 29,2% de sua receita total. Somente o governador eleito e Renan Filho (PMDB-AL) constituem quase 30% do total obtido pelos candidatos.

    Empreiteiras
    O ministro de Estado chefe da Controladoria-Geral da União (CGU), Jorge Hage, determinou a abertura de processos administrativos de responsabilização contra oito empresas envolvidas na Operação Lava Jato, que desmontou um esquema de corrupção, lavagem de dinheiro e evasão de divisas em sua relação com a Petrobras. Segundo as portarias de instauração dos processos publicadas na última quarta-feira (3) no Diário Oficial da União (DOU) as empresas são Camargo Correa, Engevix, Galvão Engenharia, Iesa, Mendes Junior, OAS, Queiroz Galvão e UTC-Constran.

    Respeitabilidade
    A ex-ministra Marina Silva (PSB) afirmou ontem que o governo corre o risco de perder a “o que lhe resta de respeitabilidade política” ao tentar aprovar o projeto de lei que altera a forma de calcular do superávit primário, permitindo mais abatimentos. Em artigo publicado em seu site, Marina, que ficou em terceiro lugar na disputa pela Presidência, disse que o governo gastou além do limite e agora tenta mudar as regras para não ser punido. “O que está acontecendo é grave: o governo está comprometendo não apenas os recursos orçamentários, mas também o que lhe resta de respeitabilidade política, tudo para aprovar um projeto que permite abater, no cálculo da meta de superávit primário, as desonerações tributárias e os investimentos no PAC.

    Petrolão
    Em discurso realizado no plenário da Câmara, o líder do PSDB na Casa, Antônio Imbassahy chamou atenção para denúncias de o dinheiro do petrolão, como vem sendo chamado o esquema de corrupção na Petrobras, ter sido usado na conta da campanha da Presidente Dilma Rousseff. Conforme noticiado na mídia, dois empresários revelaram, no regime da delação premiada, que pagaram pelo menos 20 milhões de reais em propina ao caixa do PT por contratos na estatal. Conforme Imbassahy, o esquema de pagamento de propina, revelado, e que beneficiou o PT, atinge frontalmente a legitimidade da ocupante do Palácio do Planalto.

    Proprina

    O empresário Augusto de Mendonça, diretor da empreiteira Toyo Setal, afirmou em delação premiada à Polícia Federal (PF) que parte da propina era repassada ao PT por meio de doações oficiais de campanha. Ele e Júlio Camargo, também executivo da empresa, deram detalhes sobre o esquema de corrupção e disse que houve, também, duas outras formas de repasse do dinheiro ilícito: “parcelas em dinheiro” e remessas em contas indicadas no exterior. O então diretor de Serviços da Petrobras, Renato Duque, solicitou a Mendonça que ele fizesse doações ao PT, de acordo com o documento ao qual a revista Época teve acesso. Essa seria a primeira vez que os empreiteiros admitam ter pagado propina ao PT por contratos na Petrobras.

    Título
    O ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), vai receber o título de cidadão baiano, concedido pela Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA). A concessão do título de cidadão baiano foi sugerida pelos deputados Elmar Nascimento (DEM) e por Zé Neto (PT). De acordo com Zé Neto, a concessão do título ao ministro é “um ato do mais alto reconhecimento da magnitude de suas ações e sua postura como homem público e comprometido com a Justiça”. A outorga será realizada no Plenário do Palácio Deputado Luís Eduardo Magalhães, a partir das 16h, no próximo dia 12 de dezembro. Marco Aurélio Mello nasceu em 1946 e é natural do Rio de Janeiro.
     



Os comentários e textos não representam a opinião do portal; a responsabilidade pelo blog é do autor da mensagem.
Folha do Estado da Bahia
Desenvolvido por Tacitus Tecnologia