Em cima da hora:
GM investe US$ 500 milhões em rival do Uber
-
  • Facebook
  • Twitter
  • Orkut
  • Feeds
  • 10/05/2016


    Sobe - A moradora de Feira de Santana, Graciete, por representar a cidade nas Olimpíadas do Rio de Janeiro.


    Desce - A reviravolta no caso do impeachment.


    Aumentou


    O Vereador José Carneiro (PSDB) criticou fortemente o aumento das prestações dos beneficiados do programa Minha Casa, Minha Vida, que custarão até R$ 270,00. Ele enfatiza que o reajuste foi de cerca de 220%. “A presidenta só fez isso, porque já vai sair, mais uma vez o povo foi enganado por este governo. Espero que quinta, 12, o Brasil se livre de vez dessa corja”, concluiu.


    Sem pauta


    Correia Zezito (PSL) criticou a paralisação dos professores das redes municipal e estadual, que acontece hoje, 10, em todo o país. Segundo ele, é um movimento sem pauta e extremamente político. “Se os professores de Feira pararem, quando precisarem de mim, não vou apoiar, vou ser contra. Professores não vão pela cabeça de sindicato, eles fazem trabalho político, não compareçam ao movimento”, convocou.


    Pegou e sumiu


    A Vereadora Neinha (PTB), em seu discurso, criticou o Governo Estadual. “O governador só veio em Feira pegar os votos e sumiu”. Ela ainda falou sobre a situação do Hospital Geral Clériston Andrade. “O Clériston está sucateado, cheio de bactérias, entregue, caindo aos pedaços e o governo não faz nada. Nosso povo está morrendo sem o oxigênio que é a saúde”, completou.


    Do contra


    José Carneiro (PSDB) disse ser contrário a realização de mais uma audiência pública para discutir as obras da Lagoa Grande. “Não existem motivos para depois de 4 anos se discutir novamente esta obra. Para mim é um ato politiqueiro”. O Vereador Alberto Nery (PT) disse que a audiência é para a discussão dos benefícios que estão sendo propostos e não sobre a revitalização.


    OAB


    A Ordem dos Advogados do Brasil informou ontem (9) que vai recorrer no Supremo Tribunal Federal da decisão do presidente interino da Câmara dos Deputados, Waldir Maranhão (PP-MA), de anular as sessões da Câmara que aprovaram a admissibilidade do processo de impeachment da Presidenta Dilma Rousseff.


    Absurda e irresponsável


    O Deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) afastado da presidência da Câmara pelo STF (Supremo Tribunal Federal) na última semana, vai divulgar nota condenando a iniciativa de Waldir Maranhão (PP-MA), de anular as sessões que aprovaram o impeachment na Casa. No texto, Cunha dirá que a decisão do colega é “absurda, irresponsável, antirregimental e feita à revelia do corpo técnico”.


    Urgente


    O Presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), manteve a sessão no Senado ontem (9), para a leitura do parecer favorável ao impeachment da Presidente Dilma Rousseff. Mas, também convocou uma reunião de emergência após a decisão do presidente interino da Câmara dos Deputados, Waldir Maranhão (PP-MA), que anulou a admissibilidade do processo de impeachment na Casa e pede a Renan que devolva o processo que está no Senado.


    Cautela


    A Presidente Dilma Rousseff pediu cautela à aliados sobre a decisão do presidente em exercício da Câmara, Waldir Maranhão (PP-MA), que anulou a sessão do impeachment na Casa. No dia 17 de abril, o plenário da Casa votou pela continuidade do processo de afastamento da presidente. Dilma comentou o ato de Maranhão durante um discurso no Palácio do Planalto, em evento no qual ela assinou a proposta para a criação de cinco novas universidades federais. 



Os comentários e textos não representam a opinião do portal; a responsabilidade pelo blog é do autor da mensagem.
Folha do Estado da Bahia
Desenvolvido por Tacitus Tecnologia