Em cima da hora:
Motociclista fica ferido após bater de frente com ônibus em Ribeirão Preto
-
  • Facebook
  • Twitter
  • Orkut
  • Feeds
  • 04/08/2016


    Sobe - O alto rigor na legislação eleitoral para as próximas eleições


    Desce - Violência constante que assola Feira de Santana


    Jacaré


    Ontem, nas galerias da Câmara de Vereadores, o assunto corrente foi que o candidato a vereador em 2012, Josafá Ramos Dantas Filho, o Jacaré (PRTB), não fez prestação de contas, pois o partido teve a inscrição da chapa de candidatos a vereador cancelada. Errados. Jacaré fez a prestação final de contas no dia 28 de outubro de 2012, às 9h53min, portando dentro do prazo final definido por lei. Ele pode ser candidato sim, pelo PSD e é um dos nomes cotados para se eleger. O seu pai, Tutinho, deverá ser o candidato a vice-prefeito na chapa de Jairo Carneiro.


    Violência


    O vereador Isaias de Digo chamou a atenção das autoridades e da Polícia Militar para a violência constante que assola Feira de Santana. “Vários jovens entram neste caminho muitas vezes porque não possuem oportunidades de emprego, então precisamos abrir os caminhos, para que estes jovens venham a ter o seu sustento e de sua família, assim como as autoridades também precisam tomar medidas urgente para combater tanta violência”, afirmou.


    Edvaldo


    “Se vossa excelência lesse a constituição e o regimento interno desta Casa, jamais diria aqui que pongo nas obras do governo, é o meu dever e o seu fazer o que a constituição, a lei orgânica e o regimento mandam. Deu um tiro no próprio pé, eu não ponguei, fiz o que manda a lei, tenho direito de indicar, cobrar e fazer projetos aqui”, alfinetou o vereador Edvaldo Lima (PP), sobre declaração do líder do governo José Carneiro (PSDB).


    Carneiro


    “José Carneiro está acostumado a ficar quatro anos na Câmara e quando faltam seis meses, corre pra trabalhar, sai atrás de votos. Eu fiquei quatro anos nesta Casa trabalhando, sem parar, andando nestas ruas, povoados, distritos e praças mostrando o trabalho”, disse o vereador Edvaldo Lima, referindo-se a o edil José Carneiro (PSDB).


    Marionete


    Ao total tenho 254 projetos, indicações e requerimentos nesta Casa, agora desafio o líder do governo, quero ver se ele fez mais nesta casa. Quanto o senhor fez? Vossa excelência não fala a sua língua, fala o que o governo manda falar, está andando com a cabeça e as pernas de alguém e este alguém vai puxar o seu tapete e sua cabeça. José carneiro está com a boca costurada pelo governo que está com os dias contados e vai descer na primeira esquina, não mais retornando. “O povo de Feira de Santana, não é besta e não vai deixar este perseguidor voltar “, afirmou Edvaldo Lima (PP), em crítica a José Carneiro (PSDB).


    Excesso


    “Estive no centro de abastecimento, junto com os artesãos, fiquei surpreso em virtude do contingente de guarda municipal no local para coagir as pessoas que ali ganham o seu pão. Além da guarda, tinham mais ou menos uns 40 homens, civis sem identificação no local. Quero saber qual a razão de toda essa guarda estar lá, será que vão tirar o pessoal na pancada? Afinal é a marca do governo José Ronaldo, a truculência. Não buscam dialogar, aquele espaço era pra ser revitalizado. Governo truculento e que não discute com a comunidade, pessoas estão desesperadas sem ter uma resposta do poder público”, disse o vereador Alberto Nery, em relação a construção do Shopping Popular.


    Proteção


    José Carneiro (PSDB) respondeu que a ida dos guardas foi para garantir o patrimônio publico do município e não para retirar as pessoas. “O shopping popular é uma realidade, a população pede a construção, as entidades que representam o comércio querem, os ambulantes também, e os artesãos não serão desamparados, terão o seu espaço e vão trabalhar dignamente, para ganhar o pão de cada dia. O governo é sensível e não iria prejudicá-los”, afirmou.


    Privatizou, piorou


    Roque Pereira (DEM) criticou os cartórios civis. “Hoje vemos que a privatização dos cartórios civis é uma realidade, para tirar um simples registro ou segunda via de certidões é uma verdadeira peregrinação, estes cartórios privatizaram, mas não estruturaram para dar assistência à população que tanto precisa destes serviços. Privatizou para pior. Que eles estruturem, contratem pessoas para que melhore a demanda que existe, não é um serviço barato, tirou da mão do estado, mas tornou-se um serviço caro e está de péssima qualidade”, disse. 



Os comentários e textos não representam a opinião do portal; a responsabilidade pelo blog é do autor da mensagem.
Folha do Estado da Bahia
Desenvolvido por Tacitus Tecnologia