Em cima da hora:
UPE abre inscrições para cursos de idiomas e informática nesta segunda
-
  • Facebook
  • Twitter
  • Orkut
  • Feeds
  • 25/08/2016


    Sobe - Polo de Cultura Digital, na Biblioteca Muncipal de Feira, que proporciona idosos o acesso a informática


    Desce - Candidatos a vereador que não botaram a campanha na rua para sensibilizar eleitores


    Vereadores


    Apesar da campanha eleitoral, esta semana, os vereadores em Feira de Santana cumpriram suas atividades na casa plenamente, requerimentos, projetos e indicações completaram os trabalhos depois de debates acalorados entre vereadores de situação e oposição. Pesquisa foi o tema preferido dos governistas que atacaram a segurança pública. Já a oposição tratou da pesquisa para desqualificá-la e atacaram a situação da saúde no município.


    Requerimento


    O vereador Reinaldo Miranda, Ronny (PHS), é autor do requerimento de nº 49/2016 que solicita da superintendente do Procon em Feira de Santana, Suzana Mendes, cópias dos autos de infração, dos termos de queixa, notificações, defesa e decisões administrativas do órgão pelo descumprimento da Lei Municipal de nº 3.622/2016, que dispõe sobre sanções administrativas a estabelecimento bancário por tempo de espera para o atendimento pelos usuários, referente ao período de 27 de maio de 2016 até a presente data.


    Alertou


    O vereador lembrou que o prazo de tolerância para os bancos está no final. “Reintero que a partir do dia 26 de agosto, o prazo de tolerância para adequação dos 25 minutos por parte das agências bancárias será expirado, desse modo, solicito que o Procon fiscalize diariamente o seu cumprimento em nosso Município”, completou Ronny. O requerimento foi aprovado por unanimidade dos edis presentes, na sessão de ontem (24), na Câmara Municipal de Feira de Santana.


    Criticou


    O vereador Carlito do Peixe chamou a atenção para os constantes assaltos que estão acontecendo no bairro Irmã Dulce e criticou a falta de condições de trabalho para a Polícia Militar. “A polícia aparece, dá uma volta e vai embora, e os ladrões continuam atuando. O módulo policial vive fechado, agora pergunto ao governo do estado se a segurança em Feira satisfaz a ele? Pois ao povo de Feira não. É vergonhoso um fato deste. Não é culpa da polícia e sim de quem deve prestar a estrutura”, disse.


    Gratuidade


    O vereador Isaias de Diogo (PSC) pediu aos vereadores da Casa que agissem para derrubar uma liminar imposta pelo SINCOL de Feira de Santana, que restringe a gratuidade no transporte público para idosos apenas acima de 65 anos. Já existe uma lei aprovada pela Câmara Municipal que permite a gratuidade aos 60 anos, mas por conta da liminar, não está em vigor. Isaias está atrasado, pois o Sincol não representa mais as empresas de Feira de Santana.


    Comentários


    Em parte, o vereador Welligton Andrade (PSDB) também disse que o Legislativo feirense precisa reagir contra a liminar. Vossa Excelência deve buscar meios de derrubar a liminar do Sincol, para que o passe livre volte a ser aos 60 anos”. O vereador Alberto Nery (PT) também comentou o assunto. “Quero parabenizar Vossa Excelência pelo discurso. Existiu uma lei aprovada na Casa, na época, o Sincol entrou na Justiça para que revogasse a lei, que teve sua eficácia suspensa e hoje só permanece a gratuidade a partir dos 65 anos. Gostaríamos de ver essa lei sendo cumprida, até porque não são as mesmas empresas que estão atuando hoje”, salientou.


    Conversa


    Já o líder do governo José Carneiro (PSDB) disse que o governo municipal não poderia adivinhar que as empresas teriam prejuízos e que não tem culpa do ocorrido. “As empresas atendiam todas as exigências. O secretário Pedro Boaventura que disse no rádio que os veículos foram para recall, ele que deve explicações. Deste secretário vejo muita conversa e pouca ação”, afirmou Carneiro.


    Prevenção


    Correia Zezito (PSC) defendeu o grampo telefônico para os presidiários, disse que se a polícia agisse com esta medida, muitas tragédias planejadas de dentro para fora dos presídios seriam evitadas. “A polícia militar na Bahia está de mãos atadas e não têm um apoio do governo do estado, que não dá condições deles fazerem o que sabem. Mesmo com dificuldade a Militar e a Civil sempre vão honrar a população baiana”, afirmou. 



Os comentários e textos não representam a opinião do portal; a responsabilidade pelo blog é do autor da mensagem.
Folha do Estado da Bahia
Desenvolvido por Tacitus Tecnologia