BAHIA AQUI É TRABALHO 0919
Em cima da hora:
Enchente atinge bananais em três cidades do Vale do Ribeira, SP
-
  • Facebook
  • Twitter
  • Orkut
  • Feeds
  • 16/02/2017


    Sobe - O Centro de Abastecimento que vai ganhar um novo módulo da Polícia Militar para reforçar a segurança


    Desce - Pessoas que insistem em dar golpes em bancos, mesmo sabendo que podem ser presos


    Resenha


    Eu conversava ontem na Câmara com o vice-prefeito Colbert, os deputados Irmão Lázaro e Geílson e o suplente Zé Chico. No início da conversa Lázaro disparou para Geílson: "Você não me sai da cabeça, quero estar junto com você". Aí lembrei: "Como? Se vocês dois são candidatos a deputado estadual". (Sentado ao lado, Ronaldo sorria disfarçadamente). Lázaro emendou: "Humberto, mas isso é para 2020. Para 2018 a união é com Zé Chico". Aproveitei e indaguei: "E ai prefeito?". Ronaldo abriu um sorriso e respondeu: "Não ouvi nada e não sei de nada. Não estou participando desta conversa".


    2020 e 2018


    Como já foi noticiado na cidade, Lázaro disse que estaria abrindo mão de disputar a eleição para prefeito em 2016 em apoio à eleição de Zé Ronaldo, mas andou avisando que pretendia dar uma contribuição sendo prefeito de Feira e que isso poderia ser prorrogado para 2020. A conversa de ontem na Câmara já era Lázaro tentando cooptar Geílson, que já esta na fila do grupo ligado ao prefeito bem antes, Zé Chico, outro pretendente, apenas sorriu - assim do tipo, cada dia com sua agonia, vamos estar juntos em 2018 e depois vamos bater chapa em 2020 -. Colbert que também ouvia a conversa encontrou no mesmo espaço mais três concorrentes, dentro do mesmo grupo. Boa conversa para resenhar.


    Abertura


    A sessão de abertura de ontem na Câmara foi uma das mais participativas dos últimos tempos. Todos os espaços estavam lotados. Os 21 vereadores tiveram a companhia, além do prefeito, de quase todos os secretários municipais, deputados, vice-prefeito, assessores (fazendo questão de registrar ponto e presença) e um grande número de populares estiveram dando um colorido especial à sessão de abertura.


    Caiu a aprovação


    Um levantamento realizado pelo Instituto Paraná Pesquisas, divulgado ontem (15), aponta que o presidente Michel Temer (PMDB) atingiu o maior índice de desaprovação desde que chegou ao Palácio do Planalto, em maio de 2016. Segundo o levantamento, 66,6% dos brasileiros desaprovam a administração do peemedebista, frente à aprovação de 29,5% - em junho, quando o instituto fez a primeira pesquisa, Temer era aprovado por 36,2% e rejeitado por 55,4%.


    Prisão será mantida


    O Supremo Tribunal Federal, por maioria de 9 votos a 1, decidiu ontem (15) manter o deputado cassado Eduardo Cunha preso. Com atual relatoria do ministro Edson Fachin, o recurso era de relatoria do ministro Teori Zavascki, antigo relator da Operação Lava Jato, que morreu em um acidente de avião no mês passado. Teori havia rejeitado, em uma decisão monocrática, a apelação impetrada pela defesa de Cunha.


    Favorável à pensão


    Diante da decisão de suspender o pagamento de pensão dos ex-governadores, o deputado estadual Zé Neto (PT) prefere compreender o teor da decisão antes de emitir uma opinião definitiva, mas demonstrou favorecimento à causa. Ele tomou como exemplo o caso de Jaques Wagner, que governou a Bahia de 2008 a 2012. "Ele receberia só 30 anos de recolhimento e seria o salário dele, é algo fora do comum até porque, só temos casos de ex-governadores, no passado, que tiveram dificuldades econômicas no fim da vida", analisou.


    Suspeito de plágio


    Indícios de plágio foram detectados em outra obra do ministro da Justiça licenciado Alexandre de Moraes. Segundo informações do coletivo Jornalistas Livres, há trechos copiados no livro "Legislação Penal Especial", publicado pela editora Atlas em 2006, que integram o título "Tóxicos, Prevenção - Repressão", do professor titular de direito penal do Mackenzie, Vicente Greco Filho, colega de Moraes na USP. O livro onde foram encontrados os trechos é o quinto da coleção "Fundamentos Jurídicos", redigida sob a coordenação do ministro, que foi indicado pelo presidente Michel Temer para o Supremo Tribunal Federal (STF).


    Escolha será pessoal


    Com as pressões para decidir o sucessor de Alexandre de Moraes à frente do Ministério da Justiça, o presidente Michel Temer ressaltou que a escolha será de cunho apenas pessoal. A declaração foi dada através do Twitter oficial do presidente, nesta quarta-feira (15). Um dos cotados para assumir a vaga é o ex-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Carlos Velloso, de 81 anos. "Estive com Carlos Velloso ontem. Conversamos privadamente por mais de 1h. Meu amigo há mais de 35 anos. Marcamos esse encontro diretamente", afirmou Temer. 



Os comentários e textos não representam a opinião do portal; a responsabilidade pelo blog é do autor da mensagem.
Folha do Estado da Bahia
Desenvolvido por Tacitus Tecnologia