Classivendas
Em cima da hora:
Enchente atinge bananais em três cidades do Vale do Ribeira, SP
-
  • Facebook
  • Twitter
  • Orkut
  • Feeds
  • 18/04/2017


    Sobe - As campanhas educativas desenvolvidas pela PRF para prevenir e combater acidentes nas rodovias


    Desce - O crescimento do número de motoristas alcoolizados durante a Semana Santa


    Polêmica da falta de quórum


    O vereador Edvaldo Lima (PP) também criticou a entrevista de Zé Filé e a falta dos vereadores na sessão da última quarta. "Lulinha falou sobre a entrevista de Zé Filé, mas não falou sobre a entrevista de Zé Carneiro, que foi pior que a de Zé Filé. Precisamos colocar os pés no chão. Sou um defensor da imprensa, a imprensa tem que investigar para que não cometa deslizes, nas redes sociais chamaram todo os vereadores de vagabundos. Na quarta-feira, cheguei aqui 7:50 e fui no meu gabinete e quando voltei já tinham cancelado, mas eu não estava fora da casa. Reduzimos aqui o excesso, não tivemos aumento de salário, não questionamos e não vi a imprensa parabenizar os vereadores. Esta Casa tem sido desvairada pela mídia e pela população, a palavra vagabundo não vai caber nesta casa", disse.


    APLB


    Alberto Nery afirmou que o prefeito Alberto falou sobre a greve, que o prefeito se dobrou diante da resistência dos professores, o que resultou no final da greve na rede municipal. "A Casa teve o cuidado de propor a criação de uma comissão para intermediar as negociações entre APLB e poder público municipal, o prefeito resistiu as propostas dos professores e não negociou um dos pontos, mas agora se dobrou, tentou colocar os meios de comunicação e a população contra a APLB. Não fomos informados pelo prefeito sobre a decisão que foi tomada lá. Vou entrar com requerimento para saber quanto foi gasto de publicidade para enganar a população e os trabalhadores", afirmou.


    Governo foi sensível


    Já Zé Carneiro disse a Nery que o prefeito não se dobrou às reivindicações da APLB, que o governo deu uma demonstração de sensibilidade, mas não se dobra a caprichos de quem quer que seja. "Quando deve se resolver no diálogo, se resolve, não posso deixar de reconhecer que em parte tem razão, eu também só tive conhecimento por parte da imprensa, poderia ter sido diferente, diante da nossa luta, merecíamos uma explicação maior. Tenha certeza, ceder pra mim é flexibilizar, não agiria com radicalismo, os pontos foram resolvidos e atendidos pelo governo", concluiu.


    Fogo no bingo


    Em seu discurso na manhã de ontem (17), o vereador Isaias de Diogo falou sobre o bingo beneficente que aconteceu na tarde de domingo, nas proximidades do shopping Boulevard. "Aquilo foi uma vergonha e já aconteceu outras vezes em Feira! Parabenizo os corajosos que partiram para cima do suposto ganhador, que dizia ser morador do Feira VII, mas como não soube identificar o caminho que morava com a pressão, confessou que ganhou duzentos reais para dizer que ganhou", o vereador ainda afirmou que a prática de bingo é ilegal, e que os organizadores arrumaram uma maneira de fazer como se fosse beneficente, com o nome de uma instituição. "As pessoas que desmascaram foram corajosas, estão de parabéns", disse.


    Vereadores faltosos


    O vereador Lulinha afirmou que sempre esteve presente nas sessões da Câmara Municipal e que nunca abandonou antes do término e chamou a atenção dos colegas faltosos e que colocam atestados médicos, "Zé Filé saiu para junto do governador iniciar obras, saiu na hora de votação e tinha inclusive Um projeto importante, se picou, não só ele, mas outros colegas de oposição. Quando é agora, chega no programa de rádio e diz que os vereadores foram engraxar sapato do prefeito, sempre foi situação e sempre falou bem do prefeito e agora que é oposição fica desmerecendo os colegas e o governo. Agora se for botar chocalho, quantos vereadores não chegam atrasados aqui?", disparou.


    Da minha vida, cuido eu!


    Em resposta, Zé Filé disse que faltam palavras pra descrever a compreensão de lulinha. "Pedi a liberação ao presidente e nunca atrasei uma sessão. Seria uma deselegância faltar a obra do governador, que destinou de 22 milhões, não atrapalhou em nada a votação, a casa estava cheia, jamais vou deixar essa casa, faltar os trabalhos, tenho que justificar apenas minha presença, pois a dos outros é problema deles, não tenho nada com isso", afirmou.


    Viaduto no Viveiros


    O vereador Zé Filé repercutiu a matéria publicada pelo jornal Folha do Estado, no último sábado (15), sobre a ida do deputado Carlos Geilson à Brasília para cobrar a execução da obra do viaduto do Viveiros. "Espero que esteja tudo certo mesmo, pois já tem um ano e meio e a prefeitura ainda não fez nada, tá difícil, pois o gestor ainda não se manifestou, tinha o dinheiro para a obra e agora já falta, só dependia do prefeito que tem que indenizar aquelas casas. Quando fazem os projetos têm dinheiro, quando fica pronto falta o dinheiro. Tenho compromisso com o Viveiros e vou lutar para o projeto sair do papel.

     

    Risco elétrico

     

    Gilmar Amorim fez um pedido a gestora da Coelba, para que olhasse mais pelo bairro George Américo. Segundo o edil, em menos de dois anos, já foram registrados dois casos de morte por choque elétrico. "Que façam um serviço de emergência e que cubram a fiação, sei das dificuldades, mas é necessário. Estou entrando com um requerimento para que se resolva, antes que aconteça mais uma vez", disse. Zé Carneiro afirmou em aparte que a Coelba tem que ter uma política de prevenção e agir antes de acontecer outra tragédia. Já Marcos Lima, disse que a Coelba faz o que quer e não quer em Feira de Santana, e citou o Caseb, bairro onde já fez várias solicitações e ainda aguarda a resolução dos problemas.


    Descaso com a cultura


    O vereador Cadimiel afirmou estar preocupado com o "descaso" com a cultura em Feira de Santana. "Ninguém do governo do estado esteve aqui, nem o secretário, não temos apoio, fica necessário que o município crie um IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico) municipal em Feira de Santana para que tenhamos os marcos legais e culturais na cidade, vários personagens históricos viveram aqui, a história de Maria Quitéria, aonde está a casa que ela nasceu? Sabemos a história de lampião, de Dom Pedro, mas e Maria Quitéria? Que lutou pela independência da Bahia? Ninguém sabe! Não lembramos dos personagens históricos de Feira, pois não vêm fazer este reconhecimento", concluiu. 



Os comentários e textos não representam a opinião do portal; a responsabilidade pelo blog é do autor da mensagem.
Folha do Estado da Bahia
Desenvolvido por Tacitus Tecnologia