Em cima da hora:
Família em Barbacena tem casa furtada enquanto viajava
-
  • Facebook
  • Twitter
  • Orkut
  • Feeds
  • 11/05/2017


    Sobe - Atleta feirense por fechar contrato com o maior evento de MMA feminino do mundo


    Desce - Os mais de 4,8 mil feirenses que, por irregularidade, poderão perder o título de eleitor

     

    O prefeito anunciou


    Em seu pronunciamento, o vereador Isaías de Diogo falou sobre o anúncio que o prefeito José Ronaldo realizou na manhã de ontem (10), na Câmara Municipal, sobre a confirmação da construção de mais duas unidades de CAPS em Feira de Santana. Diogo salientou a importância destes hospitais, principalmente para a recuperação de pessoas viciadas em drogas. O edil encerrou agradecendo ao prefeito e à pasta competente.

     

    Vereadores não foram convidados


    O vereador Lulinha afirmou que não foi convidado para o anúncio das obras dos CAPS, e que estava surpreso pelos outros vereadores, que também são da base, não estarem sabendo. Isaías afirmou que o prefeito não convidou os edis para não atrapalhar a sessão e que só esteve presente porque passou próximo ao local em que estavam as autoridades e teve a curiosidade de parar o carro.

     

    Pedido atendido no prazo


    O pedido do vereador Zé Filé, que ameaçou entrar com uma ação no Ministério Público, para cancelar o show do cantor Roberto Carlos em Feira, caso não tivesse resposta sobre o valor que a produção do evento pagaria para utilizar o estádio Joia da Princesa à prefeitura fosse divulgado, foi atendido. O líder do governo José Carneiro divulgou para a imprensa que o município já recebeu o montante de R$ 30.000,00.

     

    Valor não pagará custos


    Zé Filé afirmou que o valor de R$ 30.000,00 não será suficiente para pagar os custos que a prefeitura pode ter após o evento. "Não é possível que por um estádio do porte do Joia da Princesa, a prefeitura tenha cobrado apenas 30 mil. Certamente as despesas serão muito altas e a água e a luz vão aumentar. Era para a prefeitura usar este evento para arrecadar fundos para o município, para investir inclusive no esporte. Qualquer time que vem jogar aqui, cobra 10% da renda, porque não fazer da mesma forma? Tenho certeza que vão arrecadar de R$ 2,5 a 3,0 mi. Quero que o povo avalie se isto está correto ou não", disse.

     

    Cobranças


    Edvaldo Lima falou sobre a indicação que fez para tapar alguns buracos na rua Salvador, no bairro Tomba. "Desde os tempos de chuva ainda não fizeram nada. O final desta rua virou uma lagoa e os moradores estão sem saída para o sentido da Fróes da Mota. Peço aqui a atenção do governo municipal e do gestor, para que resolvam este problema o quanto antes", cobrou.

     

    Violência em Feira


    Edvaldo ainda falou sobre uma pesquisa recente, que foi realizada por uma ONG mexicana, que classificou Feira de Santana como a 15ª cidade mais violenta do mundo. "Eu não acredito nesta pesquisa e não acredito nesta entidade, todas as capitais do Norte / Nordeste estão incluídas e as do Sul não. No Rio de Janeiro quem mandam são os marginais, terra sem lei, e não entrou, como podemos acreditar? Um desrespeito, uma imoralidade, não tô dizendo que Feira não é violenta", disse.

     

    Violência em Feira II


    Cadimiel Pereira disse que o critério da ONG foi os registros de crimes, pois têm cidades em que as queixas não são registradas. "No Rio de Janeiro, por exemplo, ninguém desce da favela para fazer queixa", afirmou. Eremita disse que Feira é muito mais violenta que isso, que mora perto da delegacia da mulher e que observa que não param de receber denúncias. "As ruas de Feira são vazias a partir de oito da noite, os números são muito maiores, pois existem pessoas que não registram queixa", afirmou.

     

    Governo X Professores


    Em seu discurso, o vereador Alberto Nery afirmou que aprefeitura parece estar perseguindo ao professores da rede municipal. Não podemos admitir que em pleno século XXI, tenhamos uma gestão municipal que persegue os trabalhadores. Um governo que se diz democrático não pode perseguir servidores porque eles reivindicam seus direitos. Recebemos uma denúncia da APLB de que professores além de terem seus salários cortados, estão sendo retirados de seus postos de trabalho, como forma de retaliação pela participação ativa no movimento de greve".



Os comentários e textos não representam a opinião do portal; a responsabilidade pelo blog é do autor da mensagem.
Folha do Estado da Bahia
Desenvolvido por Tacitus Tecnologia